fabrique
Multmarcas
Scuderia -
Sorriso -
Multma - topo
Triplus - topo
Sorria
banner ipe antigo - publicidade super banner 970x90 - 1
banner ipe brasilia - publicidade sua marca sendo vista - 970x90 - super banner 970x90
CLDF

Julia Lucy e Fábio Felix divergem em live sobre reabertura da economia e volta às aulas no DF

Debate entre os deputados Distritais Julia Lucy e Fábio Felix foi transmitido ao vivo nesta quinta-feira no canal da CLDF no Youtube

07/07/2020 23h50Atualizado há 4 meses
Por: Redação
Fonte: Núcleo de Jornalismo - Câmara Legislativa
3.781
Foto: Divulgação/CLDF
Foto: Divulgação/CLDF

Na Live CLDF desta quinta-feira (2), os deputados Fábio Felix (PSOL) e Júlia Lucy (Novo) debateram ao vivo a reabertura das atividades comerciais e o retorno às aulas no Distrito Federal, que nesta semana ultrapassou cinquenta mil contaminados e quinhentos óbitos por Covid-19. Ambos concordaram com a complexidade do fenômeno, mas divergiram radicalmente quanto às abordagens sobre o assunto.

 

Defensora da "retomada responsável" da atividade econnucômica, Lucy argumentou que, além do número de contaminados e de óbitos, devem ser inclusas outras variáveis na questão, como o número de desempregados, que excedeu 333 mil pessoas no DF, onde mais de quatrocentos bares e restaurantes já foram fechados. Ela citou estudos, como o "Weekend go out", da Universidade de Harvard, sobre mobilização e transição gradual da atividade econômica, ao considerar que as empresas precisam ter uma expectativa de retomada, até mesmo para que possam planejar seus caixas. Nesse sentido, ela disse que o decreto do governador Ibaneis Rocha, publicado hoje no DODF, prevendo um cronograma de reabertura, significou um "alívio" para os segmentos das academias, bares e restaurantes, salões de beleza e barbearias.

 

Em contraponto, o deputado Fábio Felix rechaçou a dicotomia entre saúde e economia. "Não podemos comparar morte a desemprego", afirmou. Segundo o parlamentar, "o único inimigo é o coronavírus", e a política pública deve ser em defesa da vida. Nesse aspecto, ele lembrou que a comunidade científica vê com muita cautela a flexibilização diante do crescente número de hospitalização e óbito. O Estado, na visão de Felix, deve resguardar a população, principalmente os moradores das regiões periféricas mediante uma renda mínima. Ele criticou o decreto do governador, o qual classificou como "arbitrário", por não ouvir técnicos de saúde e epidemiologistas.

 

Retorno às aulas – Sobre a possibilidade de retorno às aulas no final deste mês, Lucy entende que as creches também precisam ser reabertas para que as mães possam voltar ao trabalho. Acrescentou que há uma grande diferença, quanto às atividades escolares, entre a rede de ensino pública e a privada, uma vez que esta se adaptou ao processo online e respaldou seus estudantes, enquanto aquela está caminhando para a perda do ano letivo.

 

Por outro lado, Felix salientou a preocupação dos pais que não se sentem seguros para mandar seus filhos às escolas, ao considerar que o momento certo para fazê-lo deve ser determinado pelas autoridades sanitárias. Ele aproveitou para parabenizar os professores da rede pública que têm feito um "esforço enorme", apesar da precariedade do sistema, para manter as atividades escolares.

 

Por fim, Lucy marcou posição em defesa da liberdade e autonomia individuais, e Felix, por sua vez, pelo enfrentamento coletivo da Covid-19, com apoio da ciência e da universidade na construção do conhecimento.

 

LIVE CLDF - A discussão sobre Flexibilização da Quarentena no DF foi o segundo debate ao vivo entre deputados distritais realizado pela Coordenadoria de Comunicação Social da Câmara Legislativa e trasmitido no canal da Casa no Youtube. No primeiro episódio do programa Live CLDF, Arlete Sampaio (PT) e Delmasso (Republicanos) trataram da recepção no DF da reforma da previdência. A proposta do Executivo foi aprovada na última terça-feira.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias